Aguarde e confie!!!

Pois é…. Início de ano a Globo anuncia nova programação, novos filmes, algumas empresas preparam todo um planejamento estratégico focando na renovação, as Faculdades procuram inovar alguns cursos (algumas só trocando os nomes), o ENEM procura criar novas mancadas todo santo ano e é claro que eu Sras e Srs, não poderia ficar fora dessa…. Mas fiquei! Fiqueeei, admito!…. Mas como um bom Ranheta que sou, voltarei dentro em breve a postar novos “causos”!!! Novas velhas historinhas da minha “não tão triste” vida e da vida dos outros também, claro!

Já falou o sábio: “Aguarde e confie!”

E como diria  Jack… Beijo no coração!

Anúncios
Publicado em Posts | Marcado com | Deixe um comentário

Síndrome do Cabelo de Poodle

Em vários momentos me pego imaginando que já tive outras vidas e em alguma delas, ou em todas, fui um grandessíssimo filho da puta, daqueles bem cruéis, sanguinolentos, tiranos, ou apenas um barbeiro sem noção que cortava o cabelo de todo mundo com uma foice e penteava com um ancinho. Essa seria uma explicação viável para o meu carma… A “SCP – Síndrome do Cabelo de Poodle”, que também originou o termo “cabelinho ruim do cacete” ou “cabelo de saco”, uma terrível e ainda inexplicável mutação genética que transforma parte da região capilar em híbrido de Tom Jones e o Shaft. Mas esperem, meu cabelo não é todo crespo, se fosse acharia ótimo, o grande problema é que apenas a parte frontal é ruim, não digo ruim de pontas quebradiças como a mulherada costuma dizer, vou explicar: Em certo momento de seu crescimento ele simplesmente sofre um tipo de transmutação sobrenatural e se transforma em algo parecido com pelo de cabeça de Poodle… Sim, Poodle, aquele cachorrinho, pequenininho, chatinho, “irritantinho”, que late pra cacete e fica pulando incansavelmente na sua perna, mirando sempre e certeiramente o maldito focinho nas suas bolas!… Não erra uma!

Pois é, meu cabelo fica igual e o pior, só na parte da frente, o restante até que passa no teste de qualidade. Se ainda fosse inteiro ruim, poderia deixar crescer e fazer um Black Power descente, tipo o desenho dos Globetrotters, daria até para usar como necessaire ou porta treco, sei lá.

Quando não tenho grana pra cortar então, o bicho pega! A desgraça é completa, fico parecido com o Milionário (Milionário e José Rico) e nas laterais o danado permanece certinho, dá até pra pentear, quem me vê andando na rua deve pensar que fiz a chapinha pela metade e saí correndo!

Só por curiosidade, gostaria de saber quem veio primeiro, o Ewok ou o Milionário

Certa vez inventei de deixar as madeixas crescerem e pra tentar manter tudo sobre “controle”, usava vááários produtos, gel, creme, babosa, molho de tomate, o que aparecesse na frente… Tenho que admitir que não era muito agradável de ver, mas quem nunca teve uma faze negra na vida. Nessa época o cabelo chegou quase até os ombros, provavelmente chegariam até a cintura se esticados, mas no meu caso a lei da gravidade era completamente ignorada. Lembro que em certo momento comecei a ficar irritado, não entendia porque tanta gente me olhava, sempre tinha alguém me perguntando, “e a Sandra Rosa Madalena?” E eu me questionava, “cacete quem é esse sujeito?”… “Quem é Sandra Rosa Madalena?”… “Será que trabalha em algum barzinha da Vila Madá?”

Foi então que ao passar na frente de uma loja, avistei um reflexo na vitrine. Meu?! Nããão, do Sidney Magal!!

Entrei na primeira barbearia que encontrei e disse:

“PelamordeDeus, passa a máquina zero antes que alguém me peça um autógrafo!”

“Quem inspirou quem?”

Publicado em Posts | Marcado com , | Deixe um comentário

Diálogos

Prioridade

“Alô.”                                                                                                                                                 “Oi, tudo bem? Já chegou na manicure?”                                                                                    “Ai, você não vai acreditar”…                                                                                                          “Que foi?”                                                                                                                                          “Bati o carro de novo”…                                                                                                          “Putamerda, sério? Se machucou?”                                                                                         “Não, não, tá tudo bem, mas detonou a frente do bichinho”…                                                “Que bichinho? Pegou um cachorro também?”                                                                         “Não, o carro é o bichinho.”                                                                                                            “Ah tá… Bom pelo menos não se feriu, está bem mesmo? Vou te encontrar.”                   “Não precisa, foi só o carro, graças a Deus”…                                                                          “Mas e aí? Resolveu alguma coisa? Bateu onde?”                                                                    “Foi um rapaz que me fechou, ele tentou fugir, mas pisei fundo e fui atrás”…                         “Tá doida mulher?!?!”                                                                                                                “Sim, quer dizer, não… To doida não! Consegui alcançar, peguei o número dos documentos, placa, era moleque e tava sem carta!”                                                                                        “Menos mal, chamou a polícia?”                                                                                               “Não.”                                                                                                                                         “Então vai até a delegacia fazer um B.O.!”                                                                             “Claro, vou lá sim.”                                                                                                                         “Vai agora?”                                                                                                                                         “Sim… Quer dizer, não”…                                                                                                 “Não?”                                                                                                                                               “Não, minhas unhas estão horríveis, tenho que fazer urgente!”

Balada

“E acabei ficando um tempão sozinha, o Jóbson e a Maricreide foram ao banheiro e demoraram pra caramba.”                                                                                                          “Sozinha no meio do povão?”                                                                                                      “Sim, mas como já era minha segunda cerveja, nem me importei, tava soltinha e comecei até a me empolgar, sabe, sacolejando os ombros”…                                                              “Hahahah… Essa eu queria ter visto, como é que você sa-co-le-jou os ombros? Tipo pai de santo?”                                                                                                                                “Então… Como estava falando, no meio daquele povo todo, fiquei no meu canto… Me-xen-do os ombros, dan-çan-do… Bobo. Daí ouvi uma voz atrás de mim… Ei me dá um beijo?”                                                                                                                                             “Eita, e aí?”                                                                                                                                  “Ignorei e continuei na minha.”                                                                                               “Hum, sei.”                                                                                                                                        “É sério, mas o cara começou, ei me dá um beijo! Falei sai fora!… Pra que eu fiz isso?! O sujeito ligou no automático; ei me dá um beijo… Ei me dá um beijo… Ei me dá um beijo. E não parava mais!”                                                                                                                    “Hahaha”…                                                                                                                                     “É… E continuou; ei me dá um beijo… Ei me dá um beijo… Ei me dá um beijo… Até que me enfezei…”                                                                                                                                              “E saiu fora ou falou um monte pro cara?”                                                                                 “Nada, lasquei um beijo que ele nunca mais vai esquecer!”                                                         …                                                                                                                                               “Hmm…. Andréia dá pra mim! Andréia dá pra mim! Andréia dá pra mim! Andréia dá pra mim! Andréia dá pra mim! Andréia dá pra mim!…”

Publicado em Posts | Marcado com , , | Deixe um comentário

Matraca

Gente que demora demais ao telefone me irrita profundamente, principalmente quando preciso usar o bendito aparelho, admito que existam casos extremamente importantes em que o assunto merece uma atenção especial, tal como alguém ligar do Japão e dizer que está vindo um lagarto de trinta metros de altura soltando raios pela boca na sua direção e não tem para onde correr, ou então de uma estação espacial para avisar à família que vai demorar mais um pouquinho porque acabou seu combustível e só vão enviar outra nave daqui a seis meses… Fora isso, passar mais que trinta minutos falando ao telefone é desnecessário, penso até que os cientistas que inventara a historinha sobre os raios emitidos pelo celular, que supostamente dão câncer no cérebro, tenham a mesma opinião que eu… E desde já, tem a minha total aprovação, dá câncer sim! Cai orelha! Apodrece dente! Faz peitinho cair e daí por diante.

Creio que não há explicação para esse fenômeno, algumas pessoas simplesmente falam, não há a necessidade sequer de um assunto, elas só falam, é algo instintivo, automático, meio parecido com tique nervoso, em que você só percebe o que está fazendo quando leva um tapa na cara de uma desconhecida, te chamando de atrevido por estar piscando e fazendo gestos obscenos com a língua para ela.

Pessoas assim costumam falar naturalmente, mesmo sem telefone, basta um olhar e tudo estará acabado, ou iniciado. Existem regras para o tratamento com este tipo específico de pessoa, que podem salvar o seu dia, quiçá até sua vida:

  • Seja educado, sempre cumprimente com “bom dia, boa tarde, boa noite”, nunca, em hipótese alguma diga o tradicional “tudo bem?” É o mesmo que falar, “Olá, eu não tenho mais nada para fazer durante o resto de minha vida! Você pode me dizer o que aconteceu na sua? De-ta-lha-da-men-te, por favor.”
  • Elogios são passíveis de ser mal compreendidos, cuidado, um simples “você está bonita” é equivalente a “meu tempo é todo seu, por favor, me fale tudo, o porquê, pra quê, com quê… Não esquece de dizer a última fofoca da cabeleireira, afinal, meu trabalho não tem a mínima importância mesmo.”
  • Nunca, jamais, de jeito maneira comente a palavra “novela”, isso realmente pode ser traumatizante, a resposta costuma ser instintiva, se inicia com; “Ai minimu”…  Seguido por; “ce assistiu ontem?” – pausa, respira fundo – veja bem, isso meu querido é cheque-mate, infelizmente você se deu mal, muito mal, mal pra caralho! Vamos à causa x consequência; causa; SIM, assisto. – conseqüência; ELA CONTA. Ou, causa; NÃO assisto – conseqüência; ELA CONTA. Se quiser dar uma de espertinho e soltar algo como “não assisto novelas” não adianta, é subentendido como “Me conta que vou gostar.” E o “Não, eu odeio novela” funciona como “Minha vida não é ruim o suficiente, por favor me conta um trechinho de 45 minutos pra eu poder me suicidar em paz.”

É difícil, mas essas três regrinhas podem salvar o seu bom humor, contudo, não cante vitória antes do tempo, existe algo obscuro que pode mudar todo esse contexto… “O assunto espontâneo”, sim meu caro, o assunto espontâneo, também conhecido como “aí fodeu”! Ele ainda não é explicado pela ciência moderna e infelizmente é muito comum, no entanto não se preocupe, para esses casos o homem já possui um sistema de defesa instintivo que é ativado instantaneamente em caso de desespero, o “bloqueio mental”, uma espécie de Ctrl + Alt + Del da cabeça masculina, funciona assim; ao perceber que será vítima de uma avalanche de palavras rápidas, incansáveis e muitas vezes sem sentido, o cérebro masculino automaticamente entra em estado de emergência, desligando o aparelho auditivo, travando o sistema ocular em um só foco (os olhos da pessoa) e inicia uma dublagem instantânea em loop contínuo, inserindo a voz da professora do Charlie Brown na pessoa à frente, passando cenas consecutivas e aleatórias de filmes com Megan Fox, Angelina Jolie e Scarlett Johansson. O dispositivo de resposta é ativado conforme as conclusões do monólogo são apresentadas, tais como “aham”, “hum” e “ãhãh”. Não se preocupe, neste estado é praticamente impossível para o homem fazer alguma pergunta, o cérebro entende que para cada questão é necessário mais trinta minutos de assunto, então ele simplesmente desliga seu sistema de questionamento.

Não se incomode com a cara de zumbi que está fazendo, fica meio grotesca mesmo, algo parecido com retardamento mental, eventualmente poderá escorrer uma babinha no canto da boca, mas e daí? O que importa é que funciona que é uma beleza!

 

Publicado em Posts | Marcado com , , | 3 Comentários

A caixa

Tranquilidade e sossego, duas palavrinhas quase ambíguas que costumo valorizar muito… Sim, mas tenho a impressão de que só eu! Porque todo o resto do bairro adora funk carioca, katinguelê e calcinha preta no último volume! Amado Batista por aqui deixa Roberto Carlos no chinelo, é pior que mosquito, em toda esquina tem alguém ouvindo, até aí tudo bem, afinal, gosto é igual à bunda, cada um tem a sua e sabe muito bem o que fazer com ela.

Outra observação, ou melhor, outra certeza é que cada ser semi-pensante deste “pacato” local tem seríssimos problemas auditivos, imagino que algo contagioso, pois ninguém ouve o bendito rádio baixo! Ou pelo menos em um volume que não perturbe o bairro vizinho!

Domingo eu estava voltando para casa e comecei a escutar um som, conforme me aproximava da rua de casa ia aumentando, crescendo, se desenvolvendo até que consegui identificar o danado, era Amado! Isso mesmo, o Batista. Cheguei a pensar que o homem estava em pessoa na rua, em cima de um trio-elétrico-demoníaco! Mas para meu espanto, ao virar a esquina vi que não passava de uma maldita caixa de som, “meu Deus, como uma bostinha dessas faz um estrago desses?!” Estava em uma “laje”, virada para a rua – respira fundo – agora me diz – respira beem fundo – pra que diabos o cramunhão sem noção me coloca a porcaria da caixa de som lá em cima, virado para a rua, liga no último volume e simplesmente some, sim porque o imbecil não estava nem perto, acho que deve ter ido arrancar os pentelhos da sogra com o dente em outra cidade e imaginou que se ligasse o aparelho no máximo, conseguiria ouvir… O pior é que estava tão alto que deve ter tido sucesso!

Como se não bastasse, ao passar em frente à dita casa, automaticamente meu cérebro ligou o rec. e gravou parte da maravilhosa música que estava tocando, percebi isso quando entrei no apartamento e a única coisa que me vinha à cabeça era: “Maldito sem noção!.. O meu endereço tá na internet… Maldito sem noção!.. Click para amado@.com … Maldito sem noção!!” E o pesadelo me perseguiu pelo restante do dia:

O meu endereço tá na internet
Click para amado@.com
Vamos resolver
De vez o seu futuro
Sou um homem maduro
Sou um homem bom
Que quer uma amiga
Uma companheira
Uma amada amante
Uma namorada…

Além de tudo, o cara não sabe o que quer, é amiga, companheira, amante, namorada, misericórdia meu filho, resolve isso logo, se decide!

Dois dias depois consegui deletar a música da minha HD cerebral.

Substituí por: “Preparou, bebeu, faaz”…

Obs: Me arrisco a dizer que “Café Seleto” foi para a minha geração o que “Preparou, bebeu, faz” será para esta.

Publicado em Posts | Marcado com | 1 Comentário

Pour Homme

No início da semana tive de ir ao centro de Sampa, estava andando e avistei uma morena vindo em minha direção, linda, cabelão, bocão, corpão, tudo “ão”… Dei uma olhada mas continuei meu percurso, ela passou ao meu lado e inevitavelmente senti seu perfume, na mesma hora me veio uma imagem clara na cabeça… Macho!!… Não, não tive uma fantasia homossexual e ela não tinha cara de travesti (ou algo do tipo), o fato é que o perfume da garota era masculino, amadeirado, então eu pergunto, por que meu Deus?!

Tudo bem, já entendi que as mulheres não se arrumam para nós, não se maquiam para nós, não fazem chapinha/relaxamento/escova/progressiva para nós e seria muita presunção a minha, achar que se perfumariam para nós! Mas usar perfume masculino já é maldade, imagine a cena; o sujeito dá uma “cafungada” no cangote da nega e ao respirar fundo, a primeira coisa que vem à cabeça é a palavra “macho”! O reflexo ao sentir o cheiro masculino é automático, ele distancia a cabeça e olhando meio torto pergunta:

“Que perfume é esse?”

“Gostou? É masculino.” – ela responde com um sorriso.

“Hm, claro que gostei, eu adoooro sentir o cheiro de macho no cangote da minha namorada.” – ele responde com sarcasmo.

“Aiii, não fala assim, é que eu adoro perfume masculino e resolvi usar ué.” – diz ela virando o rosto, constrangida.

“Bom… Eu adoro lingerie, aquele meia-taça que você usa, a Cinta-liga, o baby doll e nem por isso você me vê usando.” – ele continua – “Ficam ótimos em você, com certeza a minha bundinha felpuda não ia combinar.”

“Aiiiiiii, é só um perfumeeeee.” – agora cruzando os braços e fazendo bico.

“É, tudo bem, é só um perfume mesmo, deixa pra lá… Pensei em alugar um filme para assistirmos, vamos lá?” – diz ele mudando o foco mas ainda com cara de sarcasmo.

“Adoreiii, com um chocolate quente, nesse friozinho, ai que delícia!” – ela responde dando um abraço nele – “E o que vamos assistir?”

“Um clássico, Victor ou Victoria!”

*Reconhece algum dos “machos” acima?

Publicado em Posts | Marcado com | 2 Comentários

País do futebol

Brasil x Polônia, jogo de vôlei passando na TV, um rali fantástico, é uma raquetada mais forte do que a outra, a bola não cai no chão de jeito nenhum, a adrenalina nas alturas:

“Vai Brasil, corta, corta”

“E a Polônia consegue pegar a bola, levanta Sbregows corta Chnegows, Mauríííício peeega…”

“Isso, levanta filhote, vai cacete, corta porra, corta porra!!”

“O repórter Fulano tem informações importantes sobre a seleção brasileira, fala Fulano.”

“Nãããão !! Volta pro jogo, volta, volta!!”

“Estamos aqui na concentração da seleção brasileira, os jogadores acabaram de tomar o café da manhã, agora vão descansar e por volta do meio dia devem almoçar… Voltamos ao vôlei.”

“E fecha o set com vitória do Brasil amiiigos, em um dos ralis mais emocionantes que já vi em toda minha vida…”

“Te odeio Galvão!”

Publicado em Posts | Marcado com | Deixe um comentário

Sessão nostalgia

Nessa segunda nublada e fria pra caramba vale à pena cultivar um pouco de nostalgia… Sessão da tarde com filme de Jerry Lewis era bom demais! E apesar dessa produção ser de 1963, pode ter certeza de que ela continua idêntica nos dias atuais… Nessas mega promoções das casas Bahia por exemplo! Deve ter gente até pisoteada!

Publicado em Posts | Marcado com , | Deixe um comentário

Põe o dedinho na tomada põe!

Minha casa tem pouquíssimas tomadas, penso até que o pedreiro/eletricista devia estar com pressa para ir embora, sei lá, véspera de feriado prolongado talvez, “Eitcha que ainda tenho que comprar o frango e a farofa, fui!” E largou tudo pela metade, me deixando com apenas duas caixinhas em toda a sala. Acho que o problema não é a ausência delas, mas sim a total falta de noção das indústrias que resolveram personalizar seus  equipamentos elétricos com um plug diferente para cada produto, obrigando você a procurar desesperadamente um adaptador para conseguir ligar o liquidificador, uma televisão ou um laptop!… Então chegamos a questão dos três pinos, sabe, aquele “orgão vestigial” dos plugs que atualmente não serve para pitomba nenhuma… E eu pergunto, para que diabos serve o terceiro pino?! Porque não faz tudo com dois! Qual o problema com o número dois?! Esses produtos são baseados em algum mapa de numerologia que diz que a ponta da porra do plug tem que ter três pinos porque Urano está em Júpiter?! E não vale dizer que tem haver com aterramento, essa não cola faz tempo!

Aí vai o palerma aqui caçar adaptador no inferno para conseguir ligar o computador! Exato, no inferno, pois como eu moro onde Judas perdeu a cueca freada, preciso ir até a Cochinchina para comprar esta maravilha de primeiríssima necessidade ou bosta obrigatória, como preferir!

E como se não fosse o suficiente, o governo resolveu mudar tudo, agora as tomadas tem uma espécie de proteção, que serve para que crianças não enfiem o dedo, prevenindo um possível choque elétrico… Deixa o moleque enfiar a porra do dedo na tomada!! Garanto que nunca mais na vida ele vai fazer de novo! E agora, por causa do filho de algum bambambã do governo eu sou obrigado a levantar a minha bundinha felpuda da cadeira, me locomover até a casa de Cérbero para comprar novas tomadas e adaptadores?! Que saco!

Acho que quem vai enfiar a porra do dedo na tomado sou eu!!

Publicado em Posts | Marcado com | Deixe um comentário

Post-it


Publicado em Posts | Marcado com | Deixe um comentário