Matraca

Gente que demora demais ao telefone me irrita profundamente, principalmente quando preciso usar o bendito aparelho, admito que existam casos extremamente importantes em que o assunto merece uma atenção especial, tal como alguém ligar do Japão e dizer que está vindo um lagarto de trinta metros de altura soltando raios pela boca na sua direção e não tem para onde correr, ou então de uma estação espacial para avisar à família que vai demorar mais um pouquinho porque acabou seu combustível e só vão enviar outra nave daqui a seis meses… Fora isso, passar mais que trinta minutos falando ao telefone é desnecessário, penso até que os cientistas que inventara a historinha sobre os raios emitidos pelo celular, que supostamente dão câncer no cérebro, tenham a mesma opinião que eu… E desde já, tem a minha total aprovação, dá câncer sim! Cai orelha! Apodrece dente! Faz peitinho cair e daí por diante.

Creio que não há explicação para esse fenômeno, algumas pessoas simplesmente falam, não há a necessidade sequer de um assunto, elas só falam, é algo instintivo, automático, meio parecido com tique nervoso, em que você só percebe o que está fazendo quando leva um tapa na cara de uma desconhecida, te chamando de atrevido por estar piscando e fazendo gestos obscenos com a língua para ela.

Pessoas assim costumam falar naturalmente, mesmo sem telefone, basta um olhar e tudo estará acabado, ou iniciado. Existem regras para o tratamento com este tipo específico de pessoa, que podem salvar o seu dia, quiçá até sua vida:

  • Seja educado, sempre cumprimente com “bom dia, boa tarde, boa noite”, nunca, em hipótese alguma diga o tradicional “tudo bem?” É o mesmo que falar, “Olá, eu não tenho mais nada para fazer durante o resto de minha vida! Você pode me dizer o que aconteceu na sua? De-ta-lha-da-men-te, por favor.”
  • Elogios são passíveis de ser mal compreendidos, cuidado, um simples “você está bonita” é equivalente a “meu tempo é todo seu, por favor, me fale tudo, o porquê, pra quê, com quê… Não esquece de dizer a última fofoca da cabeleireira, afinal, meu trabalho não tem a mínima importância mesmo.”
  • Nunca, jamais, de jeito maneira comente a palavra “novela”, isso realmente pode ser traumatizante, a resposta costuma ser instintiva, se inicia com; “Ai minimu”…  Seguido por; “ce assistiu ontem?” – pausa, respira fundo – veja bem, isso meu querido é cheque-mate, infelizmente você se deu mal, muito mal, mal pra caralho! Vamos à causa x consequência; causa; SIM, assisto. – conseqüência; ELA CONTA. Ou, causa; NÃO assisto – conseqüência; ELA CONTA. Se quiser dar uma de espertinho e soltar algo como “não assisto novelas” não adianta, é subentendido como “Me conta que vou gostar.” E o “Não, eu odeio novela” funciona como “Minha vida não é ruim o suficiente, por favor me conta um trechinho de 45 minutos pra eu poder me suicidar em paz.”

É difícil, mas essas três regrinhas podem salvar o seu bom humor, contudo, não cante vitória antes do tempo, existe algo obscuro que pode mudar todo esse contexto… “O assunto espontâneo”, sim meu caro, o assunto espontâneo, também conhecido como “aí fodeu”! Ele ainda não é explicado pela ciência moderna e infelizmente é muito comum, no entanto não se preocupe, para esses casos o homem já possui um sistema de defesa instintivo que é ativado instantaneamente em caso de desespero, o “bloqueio mental”, uma espécie de Ctrl + Alt + Del da cabeça masculina, funciona assim; ao perceber que será vítima de uma avalanche de palavras rápidas, incansáveis e muitas vezes sem sentido, o cérebro masculino automaticamente entra em estado de emergência, desligando o aparelho auditivo, travando o sistema ocular em um só foco (os olhos da pessoa) e inicia uma dublagem instantânea em loop contínuo, inserindo a voz da professora do Charlie Brown na pessoa à frente, passando cenas consecutivas e aleatórias de filmes com Megan Fox, Angelina Jolie e Scarlett Johansson. O dispositivo de resposta é ativado conforme as conclusões do monólogo são apresentadas, tais como “aham”, “hum” e “ãhãh”. Não se preocupe, neste estado é praticamente impossível para o homem fazer alguma pergunta, o cérebro entende que para cada questão é necessário mais trinta minutos de assunto, então ele simplesmente desliga seu sistema de questionamento.

Não se incomode com a cara de zumbi que está fazendo, fica meio grotesca mesmo, algo parecido com retardamento mental, eventualmente poderá escorrer uma babinha no canto da boca, mas e daí? O que importa é que funciona que é uma beleza!

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Posts e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Matraca

  1. Carnen disse:

    ahhh… por isso meu namorado faz aquela cara de doido quando estou falando com ele! kkkkk…. Deixa ele comigo!kkkkk

  2. Douglas disse:

    hahahahaha, é bem por aí mesmo tem mulher que fala demais e cara que escuta de menos!

  3. karina disse:

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK realmente haja saco pra tanta falação, como sempre trabalhei com telefone, não tenho muita paciência… e tem também os casais que adoram ficar meia hora só se despedindo: ahh desliga vc… não desliga vc primeiro… ai que coisa chata rsrsrsrrsrsrrrsrss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s