Ego x Sr. Destino

Uma coisa eu digo, o destino costuma ser cruel com o ego alheio, principalmente quando você começa a se sentir mais bonitinho, galãzinho, meio metrossexual e daí por diante… Neologismos e boiolagens à parte o fato é, basta você ficar um pouco menos feio que o tal Sr Destino (não o dos quadrinhos) despeja um balde de água congelada na sua cabeça.

Já passei por algumas situações ridículas… Ok, ok, já passei por “trocentas” situações ridículas, o que provavelmente serviram como base fundamental para que eu tenha me tornado um ranheta de primeiríssima categoria, pois bem, lá estava eu no ponto aguardando o ônibus fretado para ir trabalhar, na época fazia o horário noturno – diga-se de passagem, uma bosta – do outro lado da avenida havia algumas garotas, provavelmente indo a alguma festa, barzinho, balada ou motel, sei lá, o que importa é que duas delas eram muito bonitas e para meu espanto, estavam me olhando. Tentei ficar na minha, dei uma disfarçada e me virei para ter certeza de que realmente estava sozinho no ponto, sim, era o único por ali, olhei novamente e elas continuavam me observando, conversando entre si davam risadinhas e acenaram, muito provavelmente falando, “olha lá o palerma, vamos tirar um sarro da cara dele!” Mas até aí o ego já estava nas alturas e a única coisa que me veio à cabeça foi, “putaquepariu e eu indo trabalhar! Cacete!” Sorri de volta e tentando fazer pose de galã da meia-noite coloquei lentamente as mãos no bolso.

Maldita hora!

Quando aproximei minha mão direita para encaixar no bolso senti algo agarrar meu dedo, virei lentamente olhando para baixo e vi um alien, inseto, ou inseto-alien tanto faz, maior que um dedo grudado no meu indicador como se tentasse escalar um pau-de-sebo… A cena seguinte está entre as mais ridículas que já passei em toda a minha vida. Repulsa, desespero e bichisse se uniram em um só corpo e o filme que se viu era de um marmanjo com 1,80m, engravatado, todo arrumadinho, pulando feito um veadinho campeiro saltitante, chacoalhando a mão freneticamente e berrando: “Sai capeta! Sai capeta! Sai capeta!” Algo que ficava entre um auto-exorcismo público, um frango desembestado com Parkinson e o Urso Fatso!… Ao retornar a meu corpo, juntamente com a vergonha do tamanho de um mamute,  não tive coragem por motivos óbvios, de saber qual a repercussão que meu pequeno show teve do outro lado da rua, abaixei minha cabeça quase até o chão e instintivamente dei sinal para o primeiro ônibus que apareceu, nunca subi tão rápido em um transporte público. Pois é, venceu o Sr Destino, fui trabalhar naquela noite com o ego e minha dignidade novamente em seus devidos lugares… Na Bósnia!

Que Bósnia de vida!

Anúncios
Esse post foi publicado em Posts e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Ego x Sr. Destino

  1. karina disse:

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ai Jeff passei mal de tanto rir imaginando a cena, inclusive essa seria uma cena que se encaixaria perfeitamente no seriado da globo Tapas e Beijos, o que aconteceu com vc é a cara das personagens da Fernanda Torres e da Andréa Beltrão rsrssrrsrsrsrrsrsrsr

  2. Pois é Karina, veja você, minha vida é praticamente um híbrido entre “Cilada” e “Tapas e Beijos”, literalmente uma “Comédia da vida privada”…. Mas pelo menos dá pra rir um pouco de tudo isso, pra alguma coisa tinha que servir né…. Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s